29 de abril de 2015

Amante sem Nome.



É insignificante teu nome,

de onde és ou de onde venhas,
com quem andas ou para onde vais,
aquilo que faças ou deixes de fazer,
se andas alegre ou triste,
tudo isso para mim é o menos importante.
Tuas mentiras e insistências,
como que eu não soubesse tuas origens,
reforço que de quem eu gosto é de ti.
Despe teu disfarce e tuas roupas,
roça teus pelos nos meus,
enrola teu corpo no meu,
deixa que eu te prometa  mundos,
por uma vez deixa-me acreditar que és só minha.
Na certeza porém tu irás embora,
não precisas de olhar para trás,
fico só e satisfeito de acreditar no resto que me toca.
Não te importes que te apedrejam ou te julguem,
estarei por perto curando tuas feridas,
fica certa de que entre muitas,
não importa teu nome foste a preferida.

by mghorta   (Evangelho apócrifo de Madalena)



2 comentários: