23 de novembro de 2017

Um dia. ..

Um dia descobrimos que beijar outra pessoa para esquecer outra, é ilusão.
Não só a não esquecemos a outra pessoa como pensamos mais nela. ..
Um dia apercebemos que as mulheres têm instinto 'felino' e fazem de qualquer homem sofrer. ..
Um dia descobrimos que apaixonar é inevitável. ..
Um dia saberemos que ser classificado de 'BOM' não é a melhor solução. ..
Um dia apercebemos que as melhoras provas de amor é a simplicidade. ..
Um dia apercebemos que o comum não nos atrai. ..
Um dia apercebemos que a pessoa que não te liga é a que pensa mais em ti. ..
Um dia apercebemos que somos mais importante para alguém, mas esquecemos dar o real valor disso. ..
Um dia apercebemos como aquele/a amigo/a nos fazem falta, mas aí é tarde demais. ..

Resumindo. ..
Um dia descobrimos que apesar de viver mais que meio século, todo esse tempo não é o suficiente para realizarmos todos os nossos sonhos, desejos, para beijar todas as bocas desejadas, para somente dizer o que deveria ser dito. ..

Desta forma. ..
Ou nos conformamos com a falta de algumas coisas na nossa Vida ou lutamos para realizar todas as nossas loucuras.

by mghorta


19 de novembro de 2017

Tristezas!

Do que me importa ver a tristeza no teu olhar
se o meu olhar tem mais tristezas para chorar
que o Teu. ..

by mghorta 


Corre. ..

Corre...
se te asilarem um único sonho,
se te disserem que caminho é estreito,
corre. ..




Escrava do Amor!

Louca a tentação,
pura sedução,
artimanhas de amor
acorrentadas de paixão,
tornar-te minha escrava,
tocando-te na pele,
cativa da liberdade sexuada,
aromas e sabores,
beijos e desejos,
fantasias e sonhos,
é assim precisamente
como eu te quero.

by mghorta  (mamasàsolta)


Sorvo-te...


Sorvo-te,
mordo-te,
sou filho demoníaco,
só quero teu sémen,
fazer com ele ritual,
beber até à ultima gota,
caíres morta junto a mim extasiada
de amores fartos,
devorar-te,
parir-te,
entre a vegetação e o altar
deste nosso grande Amor. 

by mghorta   (mamasàsolta)




9 de novembro de 2017

Preso!


Poderá parecer Louco
pergunto-me por vezes
a razão do meu cérebro
fechado em sombras
do passado sufocante
como que estivesse preso,
sim de certa forma estou!

by mghorta

22 de outubro de 2017

Sete Palmos!


Numa madrugada quente de Outono, acordei meio ensonado e assustado com o que vivo e com o futuro, mas decidi de uma vez por todas enterrar o passado recente.

Entre avanços e recuos de outrem em sonhos por sonhar e mal refeitos, assustadores de sim e nãos e da constante incerteza, da frieza das palavras e das lágrimas que mais parecem de crocodilo (cobra venenosa), estou decidido colocar ponto final em todo esse passado recente, enterrar significa colocar sete palmos de terra por cima do problema, assim não volta mais à superfície.

Entretanto enterrar  não quer dizer que esqueça por completo, sepultar é sinónimo de aprender a conviver com as lembranças, aceitar os desafios, desafiar os sortilégios, e apesar de tudo seguir em frente como que hoje fosse o ultimo dia dos primeiros dias...
Vou continuar a ler e reler, ver e rever o que não quereria, mas nada mais que importante é que está decidido esquecer, e assim ficar com menos um problema, problema esse que é um desencanto sonhado.
Velando o problema solucionado, e como qualquer enterro vemos o defunto, por mais que não o queiramos, iremos se cruzar talvez um dia, mas seja onde for passarás a ser um problema solucionado.
No dia em que enterrei o problema, surgiu  um silêncio pacifico em todo o meu redor!

by mghorta