12 de maio de 2016

Não Profetizei!

Nasci do nada, 
nada serei sem Amor, 
apenas pedi para ser amado e fui desnaturado, 
subnutrido e mal ouvido, 
não profetizei se seria bom ou mau, 
apenas quis ser o que tu desejarias que eu 
fosse e tu o que eu quero, simplesmente amamos.
Minha cama é nossa, 
pedes e eu divido nela o amor que cultivamos, 
não restritos a detalhes, 
não limitamos o  sexo, 
apenas surge no momento escolhido e oportuno, 
e assim nasce o que podemos dizer nova vida novo ser, 
como que prenhe de nove meses.
Não se dá a certeza, 
mas juntos podemos amamentar 
esse ser amado como criança, 
alimentando-o até ao fim, 
mesmo que ele se adivinhe ao virar 
da página de uma nova vida, 
novo destino ou rumo das marés que a vida no dá, 
umas vezes em alta e outras em baixa.
Hoje poderás gemer de dor, 
mas já gememos o mesmo Amor para que ele... 
o Amor fosse vivo, 
alegre e querido e lambendo o mesmo esperma, 
o  que deu vida a tão lindo Amor.
Tu és pelo nosso Amor e não pelo esperma, 
nasceste na espontaneidade e não por obrigação, 
nossa relação é parte integrante da nossa condição, 
amantes eternos e não sofredores momentosos.
Entrei em ti, 
e tu entras-te em mim, 
num vai e vem alegre, 
num escorrega e húmido prazer, 
risos e gemidos, soluçar e roçar, 
foram estes movimentos que deu nova vida, 
novo ser a nove meses como que um novo começo nascesse.
Nesse espaço vazio, 
deixei de escrever, 
somente podia resumir os sentimentos 
prazenteiros e gostosos de momentos 
húmidos e languidez da nossa tesão 
como que de um ser se tratasse.
E assim não foi esperma o  motivo da nova vida, 
mas sim o AMOR.

by mghorta (Não Profetizei)


Sem comentários:

Enviar um comentário