19 de maio de 2016

Embriagados!


Olhos azuis, cores do Mar e quentes,
cabelos grisalhos meus escritos afagavam,
sobre areias dobrados e contentes
por enlaçar as bocas que se beijavam.

Minhas mãos docemente te tocavam,
minha alegria vibrante e estontecida,
nos abraços com luxuria se amavam,
deitados pelas areias adormecidas.

Debaixo daquele Sol escaldante,
as ondas crispavam-se com cadência,
nossos beijos sôfregos eram instantes,
eram segredos da nossa consciência.

Embriagados pelo Sol sem esmorecer,
entregues ao gozo a belo prazer,
renasceu em nós a vontade de Viver!

by mghorta


4 comentários:

  1. Anónimo10:43

    Maravilhoso poema...

    ResponderEliminar
  2. Anónimo12:23

    Martinho,
    hoje não faz Sol mas
    quero que me toques.

    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Desenvergonhada como posso te tocar,
      lê o ultimo que é para directo.

      Eliminar