29 de dezembro de 2015

Aprendi Com o Tempo.


No pouco tempo que me vai restando,
as pessoas não ganham nada estar de costas viradas,
muito menos se odiando como estranhos,
não quer dizer que não se gostam ou se amam,
dado certo é que no resto do tempo do mundo 
se dá voltas e mais voltas como desafiando a todo o tempo.

Neste período que se dá pelo nome Tempo,
aprendi que existe mesmo a pessoa que me faz feliz,
aquela do tipo que também aprendeu a me entender.

Um verdadeiro amor, no tempo nunca termina...
Umas feridas saram, outras não!
Um passado não se volta a viver, isso é museu.
Um futuro só é certo para quem sonha.
Uma pessoa certa, todo o tempo é pouco.
Uma pessoa errada, um segundo é muito.
Uma personalidade não nasce com o berço, trabalha-se.
Um amor não se exige, dá-se.
Uns amigos vão nos magoar, errar é humano.
Um tempo posso esperar, outro tempo não.
Um acto pode mudar o curso do tempo para toda a Vida.
Uns actos em todo o Tempo podem me mudar a qualquer momento.

Em todo o contexto, aprendi que com o Tempo nada é importante e nada se perde verdadeiramente, apenas que se vive numa base de ilusões, pensando eu que era dono de tudo até mesmo do Tempo, dos instantes de outros, de uma certa forma poderei dizer como o poeta: 'Comigo caminham todos os mortos que amei, todos os amigos que se afastaram, todos os dias felizes se apagaram...'

Finalmente não perdi nada, apenas aprendi que perdi o tempo ilusório de um tempo que Poderia Ter Sido Meu.

by mghorta


Sem comentários:

Enviar um comentário