14 de agosto de 2015

Maldito Mês de Agosto.



Se eu pudesse maldizer de mim, de outros, ou até mesmo dos meses do ano, escolheria só maldizer de mim próprio e até do mês de Agosto, porque na realidade foi no mês de Agosto que tive todos os maiores dissabores de minha vida, até mesmo poderia maldizer os anos bissextos, tudo mesmo só para dizer; 'Maldito Mês de Agosto'.

Não é por causa dos emigrantes que enchem tudo que é canto, não por causa do calor que tanto me atormenta, não por causa do trânsito que se torna insustentável, não por causa das formas linguísticas a que sou bombardeado pela época do ano, isto mais porque não sei inglês e nem sei se me estão a mandar à merda, é somente porque é nele (Agosto) que os maiores tormentos da minha vida se assolaram, e que não bastasse, outros tormentos ressuscitaram.

Foi neles, agostos da minha vida que me marcaram o percurso de dores do meu ser, da minha alma em corpo inteiro, não acredito no destino, porque somos nós próprios que traçamos o nosso trajecto, bom ou mau é nele que teremos que caminhar.
Nunca li a sina da palma com uma cigana, mas um dia na presença de uma amiga ela leu os traços da minha palma da mão e disse-me que teria uma infinidade e longevidade de vida, mas não me disse que o meu trajecto seria merdoso, tão merdoso que só me resta amaldiçoar todos os agostos da minha vida.

A semana que entra, é nela que atentamente olho, porque faz precisamente 12 anos que me encontro num estado que não escolhi, fui predestinado para esta merda?

Indago olhando de lado para tudo o que me rodeia e não vejo razão plausível para que eu merecesse tal castigo, porque tem tanto filho da puta ao meu redor com maiores razões para tal e só me viu a mim o homem da factura, pago caro as causas em que me empenhei, em todas trabalhei em prol de outros e a paga foi uma cadeira de rodas, razão eu tenho para perguntar; 'EXISTE DEUS?'

Poderia até dizer que não merecia tal castigo, mas sei que não mando no que quero ou não queira, e se realmente Ele existe, um dia virá me cobrar o que resta de um ser baixo, coxo, estúpido  e ingénuo, aí quero estar pronto para partir, seja feita a sua vontade, mas não me tira a razão para eu não amaldiçoar tudo o que me aconteceu no  Maldito Mês de Agosto.

by mghorta



De AS RODINHAS


Sem comentários:

Enviar um comentário