16 de maio de 2017

Alma Dorida!

Dentro das minhas entranhas procurei meu silêncio, no meu olhar triste o horizonte, encontrei minhas lágrimas cansadas descendo meu rosto enrugado pelo tempo, procurei no coração dorido respostas, apenas vento soprando os momentos e lembranças de sonhos, olhei de soslaio o além e não enxerguei nada, o meu universo ficou mais só quando procuro a razão, fecho os olhos e daí a alma empobrece brutalmente, resta-me chorar as dores de quem partiu de vez entre as nuvens do céu tenebroso que levou todos os momentos, as histórias e lembranças minhas de um amor promissor, ventos dentro de mim frios sopram a minha alma embriagada de saudades...
Pelo infinito eterno da minha solidão morreu a esperança dos encontros e até dos desencontros dos reflexos de um passado em que só me resta o pensamento purificador da minha Alma Dorida!

by mghorta



2 comentários:

  1. Anónimo04:28

    Imagem brutal num texto fabuloso Martinho.

    Xoxo da Susy

    ResponderEliminar