28 de abril de 2017

De Tudo e do Nada!

Hoje apetece-me escrever, escrever sobre nada e sobre tudo...
Tem dias que apenas sei que me apetece, apetências de nada e do nada ...
As palavras vãs ecoam sem anexo e voam directamente para a tela, tela vazia de nada e de tudo...
Silabas soltas que meu coração dita sem motivo e sem razão, só porque me apetece escrever algo do nada e de tudo...
Tem dias e hoje apenas sei que estou de apetências, saliento que nada mas mesmo nada e de tudo sei escrever!
Pouco me importa que o que escrevo num amanhã venham a interessar a outros e que façam algum sentido o que escrevinho, pouco me importa isso!
Não posso agradar a gregos nem a troianos ao mesmo tempo, apesar de querer ser agradável e naquilo que escrevo tenha um sentido qualquer, pouco quero elogios muito menos criticas, só porque me apetece escrever de tudo e de nada...
Quando escrevo sinto liberdade, transmito-me para outros e para o mundo, são momentos sentidos que a outros transparecendo meus sentimentos soltos de tudo e de nada.
Por não saber escrever, cada ponto, virgula, exclamação ou interrogação vai surgindo ideias de tudo e do nada, ideias soltas de uma mente confusa, profana ou santa, é o que sou e não quero que elogiem, apenas só porque me apetece escrever de nada e de tudo!
Tem dias e hoje queria apenas ter uma razão para escrever algo ditado por meu coração, mas nada e tudo tem sentido...
Chego à triste conclusão que apenas escrevo para mim, de tudo e do nada porque queria que fosse livre e ninguém me pode me oferecer essa liberdade do nada e de tudo!
Apenas tem dias e hoje apetecia-me ser livre, sem a alma aprisionada a algo, mas concluo que tudo isso é nada e é tudo...
Por fim, a liberdade é imaginária e quanto mais quero escrever de tudo e do nada, mais eu quero ficar teclando de abstracto e do que nada e tudo tem dias que é assim............................................. apenas queria escrever De Tudo e do Nada!!!

by mghorta



26 de abril de 2017

Que Puta de Sorte a Minha!


Que puta de sorte a minha,
quando pensava ter o pássaro na mão,
momentos depois ele bate asas e voou,
sentado choro esperando,
que as asas que o levou 
o traga de novo ao poiso de minha mão.

Cabeceio as paredes,
grito alto e bom som,
que puta de sorte a minha.

Rio à gargalhada como que não houvesse amanha,
porque é uma incerteza o que a vida me reserva,
e quem disse que rir é o melhor remédio,
enganou-se inteiramente,
dado que meu estado de alma é dor,
vou sangrando por causa de desamor.

Vou correndo de passadas grandes,
pontapeando a calçada,
que puta de sorte a minha.

Dos fracos contam-se histórias,
de heróis estão os cemitérios cheios,
vou sorrindo de mansinho,
para que minha sorte volte devagarinho.

Remo forte em mar revoltado,
vejo longe o horizonte,
que puta de sorte a minha.

Não vale a pena sonhar,
porque deuses adormeceram,
mas vou lutando e rindo,
para que a puta da sorte a minha,
não esqueça que estou vivo e não dormir.

Esmurro secretárias,
berro bem alto a bom som,
que puta de sorte a minha.

by mghorta  (mamas à solta)



21 de abril de 2017

Semente!

Abraça-me como ramos em mim,
estende-te para além do impossível,
ondula gotas de suor no meu corpo,
agita teus seios hirtos de tesão,
procura meu interior,
sê em mim mais que sexo,
sê em mim semente!

by mghorta (citando mghorta)



Braços & Abraços

Toma-me de um golpe
emerge-te em mim
arranca-me das sombras
sacia-te de mim
sorve-me como gotas
lambe-me inteiro
engole-me sou teu
embala-te em gemidos
carrega-me com teus ais
encharca-te de meu amor
escorrega-te em meu peito
resvala teus seios no meu gémeo
invade-me com tua loucura
abre-te e cerca-me abraçando
descobre-te como Vénus
penetra-te em meu ser
cavalga-te agonizando
cega-te de luxuria
preenche-me em êxtase
alimenta-me com tua semente
e me deixa dormente,
vacilante,
incoerente,
saciado,
esvaziado,
inerte de volúpia
explodido de cansaço
inundado de loucura
embebido de abraços
extasiado de beijos
desse teu louco amor
em teus braços
meus abraços de prazer. ..

by mghorta  (mamas à solta)




17 de abril de 2017

Mãos Trémulas!

Teclo sem razões,
escoam-se promessas,
o Sol escoa no no horizonte,
imagens apagam-se,
esvoaçam imagens
com sabores a saudade,
será um Adeus permanente!
Perdeu-se a magia,
gostaria de te tocar
olhar as marcas do teu rosto,
secar tuas lágrimas,
afagar teus cabelos desalinhados
nas minhas mãos trémulas
suadas de cansaço
deixam esvoaçar desejos
na ausência do teu corpo
a dor aumenta a carência. ..
Desenhei horizontes
teclando ferozmente
em páginas desenfreadas
procurando o Amor,
encontrei desamor
recolhendo desafores
pelas mãos trémulas.
Percorram-se estações
quando a Primavera desponta,
algemado aos passados
recordo com magia
o passado acordado,
algo morto ficou lá
por isso as mãos tremem.
A dor da falta de Amor
fazem fluir palavras sem anexo,
formando poemas desalinhados
na esperança de corpos aninhados,
são apenas mãos trémulas
procurando por uma só vez Amor.

by mghorta  (mamas à solta)


Sonhar Voando. ..


.
 . ..
em tudo tem os seeee's, 
no ser, 
no desejar, 
no amar, 
no tempo, 
na linha do tempo, 
no mapa da vida, 
no caminho longo ou curto, 
no mundo, 
nos momentos, 
no voar nas asas do sonho.
Cada sonho, 
cada acontecimento, 
cada viagem, 
cada rumo, 
cada encontro, 
cada prazer, 
tudo tem retorno, 
basta acreditar nos seeee's, 
sonhando e voando. 
 . 
by mghorta  ( mamas à solta )



13 de abril de 2017

O Amanhã!

Ainda bem que existe outro dia,
ainda bem que existe o presente,
ainda bem que existe outros sonhos,
ainda bem que existe outros risos,
ainda bem que existe outras mais coisas,
ainda bem que existe o amanhã. ..

by mghorta



Mentira.

Minha vida foi uma mentira
Baseada  em  segredos,
Amei, talvez sim talvez não
Surpresas, medo e desencanto.

Minha vida foi uma mentira

Aconteceu porque tinha acontecer
Fingimentos de paixões, morro
Expectativas de amores, desamor.

Minha vida foi uma mentira

Merda de vida, correu enredada
Vitórias nada, só desespero a preencheu
Surpresas, medo e desencanto.

Minha vida foi uma mentira

Coitado de mim, o outono aqui (morte)
Pobre vida a minha mentira
Dependente de risos, gestos e olhares.

by mghorta  (mamas à solta)




Sexuado Dilema!

Com os lábios 
Nas mãos 
Língua bifurcada 
Pele de pêssego 

Misture por instinto
Com aromas 
Sua aparência 
Desumanizado 
Sonhando animais sejam 

Chegar ao fundo
Sujos em lama 
A última loja é engolido 

Voar é impossível
Estes mortos agora 
Cuidados vampirescos  
Semear humidade 
Discrição e rigidez 

Preencha o sentimento
O amor está violando 
Na infância 
Pervertido e sujo 

Sem moral
Eu tento fazer 
A se ela 
Não quero ser 
Mais minha cúmplice.

by mghorta  (mamas à solta)


4 de abril de 2017

Tele-Transportado!

Como quem partilha o degustar de um Vinho,
como quem partilha o sabor de frutas,
como quem soletra os sons de musica,
como quem respira o Corpo Perfumado,
como quem desliza mãos pela pele aveludada,
como quem olha o corpo curvilíneo Sexuado,
como quem saboreia os beijos Dados,
eu queria estar naquele momento na Lua
nessa Lua Sensual onde ela mora!

Por fim e nesse preciso momento eu estava lá,
tele-transportado como matéria destinada.
Mas do que vale a matéria sem Sentimento?

by mghorta  (mamas à solta)