29 de março de 2017

Síndroma da Cor.


Quando nasci, era preto.
Quando cresci, era preto.
Quando pego sol, fico preto.
Quando sinto frio, continuo preto.
Quando estou assustado, também fico preto.
Quando estou doente, preto.
E, quando eu morrer continuarei preto !

E tu, cara branco.
Quando nasce, é rosa.
Quando cresce, é branco.
Quando pega sol, fica vermelho.
Quando sente frio, fica roxo.
Quando se assusta, fica amarelo.
Quando está doente, fica verde.
Quando morrer, ficará cinzento.

E vem me chamar de homem de cor ?

(Escrito por uma criança Angolana)



Teus Seios.

.
Teus seios são montes,
pele perfumada e macia
corpos colados e quentes
aureolas redondas e fortes.

São fontes de tesão,

não dá para esconder,
hirta-se quando toco,
beijo-as com prazer.

Minhas mãos as sentem

os bicos apontam o tecto,
ficou doido de tesão,
quando te vejo toda nua.

Pele seduza e calma,

uma prenda dos deuses,
dois diamantes luzidos,
de um corpo que é meu.
.
by mghorta ( diamantes luzidos )




27 de março de 2017

25 de março de 2017

Mulher Amada


A uma mulher amada
ditosa que ao teu lado só por ti suspiro!
Quem goza o prazer de te escutar,
quem vê, às vezes, teu doce sorriso.
Nem os deuses felizes o podem igualar.

Sinto um fogo subtil correr de veia em veia
por minha carne, ó suave bem-querida,
e no transporte doce que a minha alma enleia
eu sinto asperamente a voz emudecida.

Uma nuvem confusa me enevoa o olhar
não ouço mais,
eu caio num langor supremo,
pálido e perdido e febril e sem ar,
um frêmito me abala. .. 
eu quase morro. .. 
eu tremo. ..




Calorosos Momentos.


Na ponta dos meus dedos
o anseio era tanto em te tocar
que o medo tomava conta,
o momento era aquele 
que mais pedia que acontecesse,
deslizando suave ao ponto de levar
avante um caloroso acto,
acto de que o arrependimento
não tivesse lugar e prosseguirmos
com beijos,
caricias e apertos,
vontade de te desnudar
desconcertante momento 
para te deixar louca.

Na ponta dos meus dedos
o calor era tanto
que o fogo tomava lugar
querendo te invadir por completo
olhando nos teus olhos o desejo
de calorosos momentos,
gostaria te ordenar
ajoelhando-me
ao ponto de incendiar
esse corpo de mulher
como que jorrar lavas
de gozo, 
de luxuria, 
de satisfação.

Simplesmente 
e medrosamente
meus dedos tocaram
leve o pecado,
o resultado perdurará
nos calorosos momentos
em que esquecemos tudo
e na frente loucos
de gozo culminaremos
esquecendo tudo
na plenitude do prazer.


by mghorta  (mamas à solta)


Mulher Fogo.


És fogo mulher, 
tens calor na alma,
vestes teu corpo de sangue quente,
escondes-te de forma gelada,
dando a entender que nada te penetra,
mas teu calor se sente quem perto chega,
queimas quando beijas e tuas mãos são brasas,
foste feita de gelo e o fogo é tua companhia,
mulher de gelo, 
mulher de fogo,
duas formas em uma só pessoa,
não importa a melhor combinação,
importante é seres tu num só corpo,
presente para queimares ou gelares,
ambas as coisas me seduzem.

by mghorta (mamas à solta)



21 de março de 2017

Nunca Digas Nunca!


Adeus, sei que nunca mais me vais esquecer e até sofrer com as lembranças dos poucos (mas bons) momentos juntos, por mais homens que tiveste na vida, nunca tiveste um como eu, não sou único, sabes porquê?
Toda a mulher que passe por mim, jamais irá nem conseguirá me esquecer, não sou convencido, mas ao olhar para trás e ver o que na vida decorreu... todas ficaram ligadas a mim, sempre!
Sou metade homem, a outra metade é demoníaco, mas essa metade é melhor que dois homens juntos.
Portanto, nunca digas adeus, poderás querer voltar!

(mamas à solta)


Adeus!


LÁGRIMA MAIS TRISTE DE UMA PARTIDA,
É SENTIR TEUS LÁBIOS DIZEREM 'ADEUS',
SEM TEU CORAÇÃO O MANIFESTAR!


by mghorta




Desenvergonhada Anónima!


Ó minha desenvergonhada
teus sovacos selvagens
como ramalhete floridos
em cama acetinada aluada
meu sonho é adormecer
nessa vasta cabeleira
depois de aliviar o tesão.

by mghorta  (mamas à solta)





16 de março de 2017

Partida!

Assisti à tua partida resignado
como um pássaro que deixou de voar,
como se ficar sem ti não fosse pouco,
só o relampejo de dia chuvoso no ar.

Te vi andar sozinha pela estrada
oposta de um caminho que não sabias andar
quando vinhas me encontrar acompanhada
para que tuas dores em meus braços repousar.

Só agora me apercebo assustado
que há muito perdi o rugido
deste verso sem rima aterrorizado;

Em que fiquei prostrado contemplando
os risos, os sons, os espasmos do teu descaso
em meu canto como que procurando ao acaso
as razões de tua partida naquele dia chuvoso!

by mghorta


15 de março de 2017

Nada é como Antes!

Acordo sozinho
no meu quarto escuro
pela janela vejo luzes lá fora
porta meia-cerrada
luzes apagadas
aos poucos acostumo-me
à solidão ao silêncio
respiro ofegantemente
meu coração fica surdo
o frio é brando. ..
desmaio entretanto!

O tempo corre depressa
cresce a barba
teimo em escrever
tretas da vivência
chorando lembranças
vejo meu corpo mutando
vejo meu corpo lutando
tento acordar
mas que sonho merdoso!

Acordo sozinho
estou plenamente sozinho
minha alma vagueia pelos cantos
minha pulsação silencia-se. ..

Mas que tortura a minha
física ou psicológica
é aquela que possuo
nada é como antes
perdi as forças de antes. ..
Choro!
Morro nos Entre-Tantos!

by mghorta  (Nada é Como Antes)




12 de março de 2017

Voltas que a Vida dá.

Sentado vou escrevendo e pensando nas voltas que a Vida dá, muitas vezes amamos que nós jurámos Odiar, mas pelo curso dos acontecimentos e nas voltas da Vida virámos amigos, amigos que antes seria inimigos e fazemos as coisas que nunca nós pensávamos jamais um dia fazer.
Nesta voltas da Vida ela só quis mostrar que o impossível tem acontecimento em qualquer volta-na-volta, basta abrir o Mundo que é nosso, deixar as lamurias da vida e voltar a ser feliz deixando de se preocupar com a reputação e acreditar mais em nós!
Se paramos para esmiuçar um relatório sobre tudo, exactamente tudo o que Fizemos e os acontecimentos até à data de hoje, talvez possamos indagar se realmente valeu a pena!
Rimos o suficiente?
Choramos o bastante apaixonadamente?
Se por ventura nada disso aconteceu, certificamos porque tudo foi em vão e a causa de tal.
Por fim vale a pena pensar se fomos felizes ou não quando passámos uma vida fechados dentro de nós mesmo! Nas voltas da Vida tem vários factores que não podemos descoroar, viver, arrepender, perdoar, rir, chorar, brincar, cair e levantar. ..
Sejamos Felizes!

by mghorta


Voltas!

Ontem eras tudo,
hoje tanto me faz,
Mundo dá voltas,
o Tempo passa,
a Vida é mágica,
quem pára desaparece,
vai ficando na retaguarda,
quando Voltas  restam pedaços
de ti de mim e do Passado.

by mghorta 


11 de março de 2017

Talvez Um Dia.


Talvez um dia deixaremos de ser dois 
estranhos e passamos a ser dois conhecidos, 
talvez um dia passamos a ser mais conhecidos:

  • Amantes
  • Cúmplices
  • Comparsas
  • Compinchas
  • Companheiros de crimes de cabeceira
Hoje somos apenas poeira de momentos momentosos,

como tudo na Vida metafórica tudo muda,
verdades constantes.

by mghorta (citando Talvez!)


10 de março de 2017

Lançados os Dados!


Um dado
Três faces à vista
Três respostas
Terão sempre a nossa dúvida. 

by mghorta




Tchim Tchim. ..

Quero que sejas todinha
todinha só para mim
começo meio tchim tchim
por tchim tchim 
com todos os defeitos
juntos os teus e os meus
no trajectos mais adversos
de mulher lua ou menina rua
no meu poema sem rima
minha canção com doação
quero que sejas todinha
todinha para mim
minha cara metade
minha mãe minha irmã
minha filha
minha ilha feiticeira
cercado de risos teus
em tons de rosa tinta
todinha para mim
mulher amante jardim
meu vinho tinto
brindando tchim tchim. ..

by mghorta  (citando mamas à solta)


9 de março de 2017

Primavera.

Teus olhos verdes lembram-me
cores paradisíacas de Primavera,
os frutos frescos da estação,
neles colhendo morangos e maçãs.

Na boca bebo o suco das laranjas
e das amoras em longos beijos,
as mãos percorrendo no teu peito
com framboesas cristalinas,
acariciando teus seios cuidadosamente
para não macular e que sejam firmes
sedosos e brilhantes. ..

Colhida a fruta fresca,
que me serves a bom tempo
na selva temporal dos actos
no teu cálice sagrado umbilical,
por fim adormecemos exaustos,
saciados e abraçados. ..

by mghorta  (citando mamas à solta)

Não Profetizei!

Nasci do nada,
nada serei sem Amor,
pedi para ser amado e fui desnaturado,
subnutrido e mal ouvido,
não profetizei se seria bom ou mau,
apenas quis ser o que tu desejarias 
que eu fosse e tu o que quero,
simplesmente amamos!
Minha cama é nossa.
pedes eu divido nela amor que cultivamos,
não restritos a detalhes,
não limitamos o sexo.
apenas surge no momento escolhido e oportuno,
assim nasce o que podemos dizer nova vida novo 
ser como prenhe de nove meses.
Não se dá certezas,
juntos podemos amamentar
esse ser amado como crianças,
alimentando-o até ao fim,
mesmo que ele se adivinhe ao virar
da página de uma nova vida,
novo destino ou rumo das marés que a vida nos dá,
umas vezes em altas e outras em baixa.
Hoje poderás gemer de dor,
mas já gememos o mesmo Amor para que ele. ..
... o Amor fosse vivo,
alegre e querido como lambendo o mesmo esperma
que deu a vida a tão lindo Amor.
Tu és pelo nosso Amor e não pelo esperma,
nasceste da espontaneidade e não por obrigação,
nossa relação é parte integrante da nossa condição,
amantes secretos e não sofredores momentosos.
Entrei em ti e entraste em mim
num vai e vem gozado,
num escorrega e húmido prazer,
risos e gemidos,
soluçar e roçar
foram estes movimentos que deu nova Vida,
novo ser a nove meses como que um novo começo.
Nesse espaço vazio deixei de escrever,
somente podia resumir os sentimentos
prazenteiros e gostosos de momentos
húmidos e languidez da nossa tesão
como que um ser se tratasse.
Como não profetizei,
foi assim que o esperma deu motivo a nova vida,
nova vida novo Amor.

by mghorta  (citando mamas à solta)





Sombras!!!


7 de março de 2017

Lembranças!

''LEMBRAR É FÁCIL PARA 
QUEM TEM MEMÓRIA,
ESQUECER É DIFÍCIL PARA 
QUEM TEM CORAÇÃO.''

Shakespeare


6 de março de 2017

Inferno!

Por muito que queiramos dizer não, ele existe aqui ao nosso lado, a tristeza e a solidão de mãos dadas, por isso acordo com a sensação de um vazio tormentoso, não encontro forma de explicar isso, mas fica pairando no nada toda essa certeza.
Sim é capaz disso mesmo, faltar algo no ar!
Mas como poderei chegar a esta conclusão?
Será que em todos estes anos me está faltando algo?

Simplesmente não tenho formula de explicar a razão disso, assim apenas me resta aguentar o vazio desta minha solidão. Da mesmo forma que concluiu que me falta algo, seja ar ou vivência, fico atroz-mente com falta de ar.

A correria que levei em todos estes anos, fico com a conclusão que tudo foi vão, até os sorrisos que posso esboçar tem a tonalidade amarela, perdeu o colorido da vida. Complexidade do esquecer não é assim tão simples, mesmo que eu diga que tudo está bem, tudo é nulo e complexo.

Porque o coração não dói, não posso dizer com a plena certeza que estarei doente, tudo é complicado em demasia para explicar.  Mera ilusão dizer que nada me falta, nada não é nada e a falta fala, tem uma linguagem universal, porque todos sentimos falta de algo e não poderemos excluir isso de nossas vidas, por isso teimo em dizer que me Falta Algo.

Acho que encontrei a razão destas linhas que teimosamente tento escrever de tempos a tempos, acho que sim, acho que é a tristeza que me invadiu por completo meu interior, meu ser está só e minha alma invadida por uma solidão enorme que me consome como braseiro quente ao género de Inferno.

Sinto-me ardendo, minhas entranhas com marcas e cicatrizes que nunca mais sumirão de mim, a dor e marcas ficarão para sempre eternizadas com minha solidão infernal. Minha carne fraca não sabe mais a leveza da alegria, mesmo que ela me bata à porta, não sei se serei capaz ou terei a sensibilidade de a recolher, é esta a dor que mais me atormenta e nem sequer tem explicação para tal decisão, ela vem como Tempestade arrebatadora que a minha condição humana se sente incapaz de a receber porque a solidão é de anormalidade tamanha.

Depois da tempestade vem a bonança, mas teimo em escrever no mais recôndito interior da minha alma, pensamentos, verdades, mentiras, histórias e sonhos. Uma forma que me escraviza neste inferno de solidão, criando momentos de reflexão e introspecção prevendo situações e coisas que nunca mais terão acontecimento.

Finalizando, o mundo gira lá fora, tem a sua mutação própria, palavras e actos ficam, ficaram e ficarão, de certa forma mostrando a imparcialidade das coisas ímpares que em breve serão coisas do passado, não por mim, não pelas teclas que teimo teclar, não pelo meu Dom solto, mas pelo Dom que todos temos e teimosamente queremos continuar, só que a solidão nos arrebata de certa forma que somos humanos fragilizados esquecidos num canto infernal.

by mghorta 


Identidade!

Este desespero que respiro
tem identidade,
a intranquilidade que me abraça 
tem identidade,
esta tempestade que me beija
tem identidade,
este desassossego que me fala
tem identidade,
esta crueldade que me silencia
tem identidade,
estes tumultos que me apavoram
tem identidade,
todos os sonhos sonhados
e os que ficaram por sonhar
tem identidade,
poderia desbravar teu coração
com todo o tempo que a alma
me concedeu debaixo dos
momentos compartilhados,
mas nossas identidades
por muitos tumultos vividos
jamais poderão ficar juntos.

by mghorta

Despedida.

Nunca sei encontrar as palavras certas para me despedir de ti, fico sempre com um vazio frio dentro de mim com medo de uma palavra que terei dito ou não dito, fico com a impressão de um mal-entendido solto que faça tremer tudo que se passou por nós num vazio inexistente, como gota de água solta em telhado desesperado.

Não sei me despedir de ti nos poucos momentos juntos, sou como palmilhante atravessando as multidões sofridas num mundo caótico sem amor.

Como um cego tacteando pelos paralelos da vida, não sei me despedir de ti, faltam as palavras para dizer mais algo que o simples toque de mãos e lábios ávidos de um beijo prolongado.

Soterrado de pensamentos da nossa história, não consigo afastar-me de tudo o que és.

Num vazio inexistente, despedir-me de ti é como algo que parte de mim para uma caminhada no nada.

by mghorta 

4 de março de 2017

Aiiiii Como te Quero!


Deram 3:30 na noite fria e quente,
momentos foram de sobra excitantes,
tomo banho luxuriante e água morna,
meu deficiente corpo teso e vibrante,
recordo-me de ti neste instante.

De sabonete na mão temperado,
deslizo pelas coxas elogiadas, 
demoro-me na macieza tesuda,
virilidade erecta quente de prazer.

Aiiiiii como te quero!
Pensando no teu sexo,
tugido e cheio de tesão,
toco-me e solto, aiiiiiiiiiiii.

Adrenalina sensual,
pura, química, molhado
com amasso cheiroso a coco.

As mãos macias roçam
ludibriando o corpo pensando em ti,
vai e vem deslizante espuma ensaboada,
é um momento louco e apaixonante.

No banho quero sentir
tuas curvas deliciosas e nuas,
corpo curvilíneo que desejo,
nele sentir penetrações de prazer,
porque quero renascer das cinzas,
e chegar ao céu com satisfação,
minhas pernas tremulas não de medo,
mas satisfeitas do teu néctar e teu coco,
aiiiiii como te quero!

by mghorta  (aiiiii como te quero!)




Mesmo que imperfeito!



Toma-me e abraça-me,
preciso de tua protecção,
deixa-me te amar,
seduz-me com  mimos,
cobre meu corpo de caricias,
beija-me por inteiro,
delicia-te com minha imperfeição,
deseja-me com malícia,
enrosca-te no meu colo,
fico louco com teu calor,
quero cavalgar teu corpo,
quero extravasar tesão em ti,
sentir-te por inteira,
dentro de mim e eu em ti,
terminamos o acto,
mesmo que imperfeito,
vamos terminar em delírios. 
.
by mghorta  (mamas à solta)



Sou um Tolo!

Eu sou um tolo por te querer
Eu sou um tolo por te querer
Por querer um amor que não é verdadeiro
Um amor que está lá para outros também
Eu sou um tolo por te prender
Um tal tolo por te prender
Para buscar um beijo não só meu
Para partilhar um beijo que o Diabo conhece
E outra vez eu disse que a deixaria
E outra vez eu fui embora
Mas aí viria o tempo que precisaria de ti
E mais uma vez estas são as palavras que tenho a dizer
Me aceite de volta, eu te quero
Tem pena de mim eu preciso de teu Amor
Eu sei que é errado, isto deve ser errado
Mas certo ou errado eu não posso continuar
Continuar sem ti apesar de ser Um Tolo!

I'm a Fool to Want You - Frank Sinatra  (mamas à solta)


3 de março de 2017

Tentação.


Não te vejo mas sinto que me espreitas, entre a folhagem do meu Paraíso, rodeias-me com a ternura do teu olhar, sinto o pulsar do teu coração, sinto o calor das tuas mãos, cheira-me a coco a tua pele e sei as sensações que tua presença me provoca.
És a tentação que me desafia a cada momento improvisado, fazes do meu jardim um Éden, quando deixas teu perfume solto no ar como demarcando teu o meu território, quando deixas de espiar os meus pensamentos insanos como que apressar os momentos para que nosso abrigo seja uno.
Sei onde estás mas continuo escrevendo entre linhas mastigando minha loucura de pensamentos históricos que não confesso até que me apresso em que se tornem em nada.
Sereno, sozinho e tranquilo na minha quietude vou deixar que me descubras lentamente.

by mghorta   (mamas à solta)


Concluí. ..


. .. no final destes dias de que não me faço de vítima, coitadinho ou fracassado, isso seria no facto dar azo ao teu ego de superioridade e supremacia, a tua predisposição de piedade gera uma cegueira e abismo no que pretendemos futuramente.

Não consigo vislumbrar nem arranjar argumentos para que as acusações que só levam a um culpado tenha pernas para julgamento, a chance que ambos ansiávamos ficam por terra, e para trás ficam os sonhos idealizados e coloridos com que um dia sonhamos e profetizamos em momentos de entrega mútua, sinto muito. 

Não te culpes, pois isso também é mau, mas sempre que ocorra algo péssimo, mesmo que seja o pior que surja, pára olha e reflecte, ambos somos culpados de termos acreditado. 

Morar, viver e amar com alguém que se vítima é extremamente doloroso, pela parte que me toca, isso devido ao comportamento e aos sonhos idealizados por ambos.

Para que se vislumbre futuro em tudo, primeiro tenho que interiorizar que não sou só eu o mau da fita e trabalhar para melhorar o que de errado existiu nisso, para tal deves fazer o mesmo e retratares-te no mesmo quadro lastimoso e extrair o máximo do errado e bom para melhorar a pessoa que somos.

by mghorta  (mamas à solta)



Tumultos!


Imagino teus olhos doces,
tua boca sexuada,
tua pele macia e perfumada,
mesmo que não estejamos perto,
mesmo que não se toquemos,
acontecem tumultos dentro de mim.
Não é ser egoísta,
mas queria ter-te perto de mim,
sentir tua pele colada na minha,
teus beijos no meu corpo,
redescobrindo com carinho
cada espaço de mim.
Queria cheirar mais perto teu cheiro,
o mesmo que me enlouquece de todo meu ser.
Estremeço ao te ver,
tremo quando ouço tua voz,
imagino tuas mãos acariciando,
tentando encontrar tudo o que olhas.
Imagino tua boca húmida,
nossos olhares de cumplicidade,
repentinamente tudo se encaixa,
ficamos no auge de nossas emoções,
esquecemos o que nos rodeia.
Admiro-te mesmo estando longe,
teu corpo maravilhoso,
imaginando tudo o que poderemos fazer,
com nossos corpos entrelaçados uno.
Beijar-te e sentir teu abraço,
escutar as batidas de teu coração,
tudo isso é possível
basta que me respondas sim,
tornar esta imaginação eterna,
que o mundo parasse por horas,
para que sossegue meus tumultos!

by mghorta  (tumultos dentro de mim)


Meu Ego!

Preciso pensar e reflectir, o tempo escassa mas devo admitir que este amor não pode continuar, com este amor o sofrimento será demasiado, por isso devo pensar quem sou, como fui e serei no futuro em função desse louco amor que ambos continuamos alimentar.
Meu ego, minha vida desvalorizada faz com que eu termine este amor cego, doente e perseguidor para assumir algo de novo, terei que me amar a mim próprio de novo.
Caso não saibamos, teremos que nos amar primeiro, caso não o façamos será tudo vão, desesperado e ilusão o amor que ambos teimamos continuar.
É motivo de sobra para eu recuar, esconder-me, exilar-me e ficar silencioso, num canto só e pernoitar nas noites quietas, tenho que pensar e depois actuar, só depois de tudo passar tomar atitude certa se devemos continuar serenamente, ou até nos esquecermos de nos amar.


by mghorta (mamas à solta)