6 de janeiro de 2017

Volta na Volta!


Faz tempo que foste embora sem deixar uma razão sequer para tal acto de cobardia, uma nota, um recado ou uma hora de volta.
Razões nunca explicaste, fiquei só, éramos uno e com tantas promessas pelo meio sem se cumprir, nunca devias ter partido sem mim, partiste mas teus rastos ficaram em mim.

Todos os dias folheio páginas para saber de ti, pareço uma criança esperando um sorriso, um carinho ou até mesmo um beijo de volta. Recordo a macieza de tuas mãos, serenas, lentas e sábias. Recordo teus sorrisos abertos de felicidade nas noites frias que me embalavam no silêncio da nossa vivência vivida. 

Foi contigo que reaprendi amar, aprendi quanto é seguro o teu abraço, eras como porto de abrigo para minha alma quando dentro de mim tinha mar revoltoso, eras como a esperança das searas verdes em tempos primaverais, teu cheiro a coco como relembrando as águas calmas nos momentos vividos junto aos riachos.

Lembro dos gestos  gentis e das primeiras palavras trocadas nas ocasiões pontuais, eram tão simples como nosso silêncio envolto em carinhos das nossas carências de afecto, e tudo isso recordo até que voltes. Tortura-me passar os locais vezes a pavio esperando que cruzes de novo por mim.

Hoje no silêncio destas quatro paredes, ouço gemidos e sinto teu suor frio de prazer, teus cheiros pairam no ar como que tua presença seja tão real, não durmo, descanso e apenas folheio páginas na ânsia que voltes. Nada mudou, tudo regressou ao seu lugar, tua volta para teu lugar e eu no meu calvário silencioso, és feliz! Parabéns, eu fico feliz sabendo que o és mesmo que não me escrevas uma simples nota de volta.

Mas neste entretanto as ervas cresceram de novo dentro de mim, deixaste de semear o carinho e o amor por mim. Pouco me importa, nada mais cresce ao meu lado sem ti, vou deixar florescer a selva dentro de mim, mas. ..

Mas fico sempre por aqui esperando uma volta de ti, nem que apenas uma nota, um sorriso ou até mesmo um olá em qualquer momento que possamos trocar de novo nos lugares por nós percorridos que fizeram a nossa história de amor.

by mghorta


2 comentários:

  1. Anónimo00:31

    Voltei...não me dês os parabéns, nunca fui feliz.
    Talvez ainda dê tempo de escrever nossa história de amor.
    Beijos meus.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como posso parabenizar se não tens rosto,
      mas não deixarei de te agradecer pelos beijos meus.

      Eliminar