29 de janeiro de 2017

Objecto Precioso


De tal ordem e precioso
o que te devo dizer
que não posso guardá-lo
sem a sensação de roubo:
- Gémeo lindo!
Faz o que puderdes com esta dádiva,
quanto a mim dou graças
pelo que sei que meu gémeo
será teu um dia se aprovares
e mais te perdoo Amor.

by mghorta  (Mamas À Solta)


28 de janeiro de 2017

Reflexão!

Preciso pensar e reflectir, o tempo escassa mas devo admitir que este amor não pode continuar, com este amor o sofrimento será demasiado, por isso devo pensar quem sou, como fui e serei no futuro em função desse louco amor que ambos continuamos alimentar.
Meu ego, minha vida desvalorizada faz com que eu termine este amor cego, doente e perseguidor, para assumir algo de novo, terei que me amar a mim próprio de novo.
Caso não saibamos, teremos que nos amar primeiro, caso não o façamos será tudo vão, desesperado e ilusão o amor que teimamos continuar.
É motivo de sobra para eu recuar, esconder-me, exilar-me e ficar silencioso, num canto só e pernoitar nas noites quietas, tenho que pensar e depois actuar, só depois de tudo passar tomar atitude certa, se devemos continuar serenamente, ou esquecermos de nos amar.

by mghorta




Prosseguir!

Escrevo tentando adivinhar o sofrimento futuro e até mesmo a tortura, escrevo e rescrevo redigindo para encontrar qualquer coisa uma atrás-da-outra.
Magia e paz ou mistério é o que me faz Prosseguir nesta tortuosa escrita.
Já pensei prosseguir mas penso, 
para quê se alguém não devo mostrar do Que Sou!
Acabo sempre nos ses mostrando a minha verdadeira personalidade.
Olho para o pôr-do-Sol lá fora como que suplicando renovação,
mas só encontro silêncio, dores, medo e negação.
Não aguento mais este tumultuoso Silêncio,
choro silencioso com desamor
sempre pensando amordaçado.
Falo pausadamente como que o cérebro estale,
só falo de dores e sofrimento existentes
como que lá fora não aja mais que querer.

by mghorta 



26 de janeiro de 2017

Corpos Uno.

Ouve com atenção,
acaricia teu corpo
enquanto teu amado
regresse como nevão.

Esse corpo de mulher
que espera pelo amor
que o cheiro emanado
do corpo de teu amado.

Teus gestos aprisiona
a minha alma cada vez
que eu carrego pedaços
de teu corpo de mulher.

Sentimentos latentes
subir do desterrado
coração atrás de porta fechada.

Enquanto eu ouvir
essas vibrações silenciosas,
como rio de cio corendo
através do vale do meu corpo.

by mghorta

Amor Profano.

Na solidão da noite
mergulho nos escombros
de um passado inglório,
derrotas pessoais
paixões marcantes
diluíram-se na ampulheta 
do tempo no bater de meu coração
que agora não passam
de simples recordação.

Sentimentos que polinizaram
meu ser em fel.

Alma amargurada
como um toque de Morfeu,
vivências de tempos idos
que jamais serão revividos,
amores ditos e proclamados
no templo profanado
num chão sagrado
por mim um dia pisado.

by mghorta


Sombras!

Debaixo de tuas asas
tão atractivas sangram
quebrados os meus sentimentos
numa desordem de ódio
e dores nas tuas sombras.

by mghorta


6 de janeiro de 2017

Sem ti!


Nada sou,
sou um nada
trazido
vazio
que sinto
no silêncio
da ausência
de ti. ..
Sem morada
sou um nada
sem nada
ao peito. ..
Vagueando
como vagabundo
pelo mundo
sem ti
e de mim. ..
Sou desamor
sem teu amor. ..
Recordo a história
dos momentos
de amar-te
com tudo
sou um nada. ..
Sou um nada
do que fomos
como amantes. ..
Desencontrados
no tempo
com perdas
sou um nada
sem ti. ..
Cingido sem ti
sou feito de nada
com peito
sem peito de ti
sou um nada
sem ti!!!

by mghorta 


Já nada. ..


... era como antes!


Volta na Volta!


Faz tempo que foste embora sem deixar uma razão sequer para tal acto de cobardia, uma nota, um recado ou uma hora de volta.
Razões nunca explicaste, fiquei só, éramos uno e com tantas promessas pelo meio sem se cumprir, nunca devias ter partido sem mim, partiste mas teus rastos ficaram em mim.

Todos os dias folheio páginas para saber de ti, pareço uma criança esperando um sorriso, um carinho ou até mesmo um beijo de volta. Recordo a macieza de tuas mãos, serenas, lentas e sábias. Recordo teus sorrisos abertos de felicidade nas noites frias que me embalavam no silêncio da nossa vivência vivida. 

Foi contigo que reaprendi amar, aprendi quanto é seguro o teu abraço, eras como porto de abrigo para minha alma quando dentro de mim tinha mar revoltoso, eras como a esperança das searas verdes em tempos primaverais, teu cheiro a coco como relembrando as águas calmas nos momentos vividos junto aos riachos.

Lembro dos gestos  gentis e das primeiras palavras trocadas nas ocasiões pontuais, eram tão simples como nosso silêncio envolto em carinhos das nossas carências de afecto, e tudo isso recordo até que voltes. Tortura-me passar os locais vezes a pavio esperando que cruzes de novo por mim.

Hoje no silêncio destas quatro paredes, ouço gemidos e sinto teu suor frio de prazer, teus cheiros pairam no ar como que tua presença seja tão real, não durmo, descanso e apenas folheio páginas na ânsia que voltes. Nada mudou, tudo regressou ao seu lugar, tua volta para teu lugar e eu no meu calvário silencioso, és feliz! Parabéns, eu fico feliz sabendo que o és mesmo que não me escrevas uma simples nota de volta.

Mas neste entretanto as ervas cresceram de novo dentro de mim, deixaste de semear o carinho e o amor por mim. Pouco me importa, nada mais cresce ao meu lado sem ti, vou deixar florescer a selva dentro de mim, mas. ..

Mas fico sempre por aqui esperando uma volta de ti, nem que apenas uma nota, um sorriso ou até mesmo um olá em qualquer momento que possamos trocar de novo nos lugares por nós percorridos que fizeram a nossa história de amor.

by mghorta