11 de junho de 2016

Descrever!


Na universalidade do tempo te descrevo,
apesar de estares nua não te querer,
por inteiro ou formato como te descrevo,
o vento no seu bater me ajuda te descrever!

Na universalidade quase te ouço,
mutante, ambulante sempre perto
tens ganas de me matar constantemente,
persistente-mente e segues com a mente!

Parte ou inteira respirar-te
sugar-te com minerais e sais,
euforia das nossas vontades digitais.

Se é amor fico contigo,
sendo assim me descreve e fica comigo.

by mghorta (citando Mamas À Solta)


Sem comentários:

Enviar um comentário