8 de março de 2016

Razão porque Vivo.



Hoje reli muito sobre o que escrevi, não para sorrir, também não para chorar, mas para relembrar que em tempos tinha uma razão para eu escrever, mas escrevi o quê e porquê, para quem ou para quê?
Escrevi sobre vivências, sobre tristezas, sobre mim e sobre o que pensei que um dia teria razão para o fazer, porque em tudo que se mova, tem um motivo de o ser.
Também escrevi coisas que não aconteceram, mas escrevi com a razão que tudo um dia poderia ter acontecido, e nas transparências da Vida tudo tem um sentido de acontecimento, é por isso que existe sentimento nos  momentos.
Mas reconsiderei que preciso de escrever mais que tudo isso, preciso de motivo válido para que o faça, parar ou desistir deixou de ser vocabulário no meu dicionário.
Quero mais, quero continuar, ir mais além, além de mim, além de lugares que caminho vagamente, trilhos que trilhei, quero correr aos ziguezagues para ter mais motivo de escrever não só de mim mas de mais alguém que me incite na vertente com vivências de vida. 
Deixei coisas por fazer, perdi amores, amigos, perdi assuntos que ficaram entre ásperas, nada mais importa, quero escrever sobre muito mais algo nem que para isso precise de me apaixonar.
Vou escrever sobre o que reli na busca de algo que ficou pendente, algo de novo que na escrita que fiz ficasse solto, completar as obras de forma que possa de novo sorrir, talvez até chorar com sentimento, também poderei chorar de rir de coisas que escrevi, porque o que escrevo tem sempre um motivo, motivos que me levaram um dia escrever.
Não estou feliz, não estou triste, mas o amanhã tem um motivo válido para que volte de novo a escrever, seja mal ou bem, tenho que o fazer para que não morra adoentado com os fantasmas do passado, porque o presente é hoje e o futuro está aqui bem vivo.
Será a morte, será novo amor, será novo caso, será o que será tenho que trabalhar de forma de criar razões para que volte a escrever.
Não tem lugar no Mundo onde me possa esconder, estou vivo e sozinho, acostumei-me a perder mas não é razão para me esconder, e será por isso que irei de novo escrever nem que seja algo sobre que poderá acontecer bem como não, é pela mesma razão que vivo.

by mghorta   

Sem comentários:

Enviar um comentário