29 de dezembro de 2016

Toque. ..


Mão solta,
Mão Vazia
espírito vago!
Sensação solitária de ser
permanente angustia de dor.
Um Toque. ..
Apenas um toque!
Vive-se por isto e por aquilo,
sem isso e sem saber que assim é,
muitos não o sabem,
muitos evitam saber.
Desamor acontece por falta de toque,
ódio se faz por falta de toque,
tanto se podia fazer com um simples toque.
Toque. ..
Toco-te. ..
Vivo na esperança que tenha chegado até ti
o meu singelo e simples Toque.

by mghorta


Esta Noite!


Madrugada, mais uma noite se passou sem te ler, sem olhar as estrelas.
Num céu longínquo tem uma alma com pensamento, em que tenho ligeiro atrevimento de o aprisionar cá dentro, mesmo que borratando meu rosto com dor e sofrimento, sem a firmeza de outros tempos, forçado a estar desacompanhado nesta solidão!
Querendo sorrir quando só quero gritar, esperando que me dês um abraço, vejo-me obrigado a olhar o teu desagrado.
Nesta noite só penso o que será melhor, viver ou morrer!
Entrementes chego ao ponto, que a habituação é coisa do coração e receber com agrado o que a vida nos tem dado, até já disse que não importa, tudo passa com disfarce, assim para não magoar mais alguém. ..
Já pouco importa se do que leio ou vejo é realidade!
Sem sonhar deixarei de um dia acreditar que tive felicidade.
Quão brutal e cruel esta vida, é triste, muito triste ter que acordar!

by mghorta


Sem Rumo!


Ver tem um quase demais
tem quase pouco de mim,
olhar percebe-se ao longe
mais próximo do horizonte
que o encanto levar ao fim.

Quem sabe se estontear?
Será com dor, espera!
Nas trevas não se opera
tal caminho da quimera
será a paz a pedir cautela.

Com o facto digo não ser boato,
meu interior sem dar erro
evadindo-me num breve andaço
com desamor tornado em pedaço
embalado, corroído sem apreço. 

Sem a tal emoção que arrebata
sem afeição tamanho desgosto.
Acorda! Sem Temor! Encara!
Tua amizade fugaz e passageira
sem rumo, sem rota, sem morada.

by mghorta 




27 de dezembro de 2016

Rótulos!


Que me importam os títulos ou rótulos,
durante este ano fui rotulado mil e uma vez,
não me incomoda se alguém não gosta de mim,
não vivo nem morrerei por causa da disso.
Minha senda de viver segue aos altos e baixos,
vai de aquém ao além como quero.
Nem sempre estarei certo, errado por vezes,
sou feito de carne e osso mas não de matéria bruta,
muito louco e são, de afectos e desilusão!
Uns dias sim e outro não,

uns bons e outros nem tanto,
sou feito de feiuras e encantos,
portanto não me importa de que me rotulam.

by mghorta


Amantes!


Eles eram dois amantes completamente desconhecidos, todas as noites olhavam-se e amavam como que o mundo terminasse amanhã, no final de uma noite ela saiu, ele acabou por a deixar partir, ele deitado na cama tendo o silêncio e o vazio da sua ausência para sempre. ..

by mghorta (MamasàSolta)


Ai que Rico Vinho!


É coisa que consumo
tanto branco como tinto,
responsavelmente assumo
falo a verdade e não minto. 

Moderadamente não faz mal,
depois de fermentado
não tem outro igual
na boca até faz estalo.

Do bom até dá gozo beber 
seja branco ou tinto
à gente que não o quer esquecer
digo a verdade e não minto.

Rimados frente ao copo no momento,
Martinho Horta dava um bom autor
com o peso do grau no pensamento
nem é preciso ser doutor.

by mghorta  (Mamas À Solta)






Bom Vinho!


Beber com alegria
Bom e com moderação
Terás um bom dia
E falarás com coração!

by mghorta



25 de dezembro de 2016

Vinho!


Nada me faz mal
Bebo com alegria
Tanto no Carrascal
Como até em Leiria. ..

De Leiria ao Minho
Em terra minha o Rossio
Grosso ou fino
Que seja mesmo a pavio. ..

by mghorta


24 de dezembro de 2016

Sonhando!


Por onde ando
procurando
no teu corpo
o meu sonho.

Nas colinas verdes
dos teus seios
adormecendo
sonhando. ..

Nos contornos invernosos
da tua pele molhada,
nas planícies maduras
que descalço percorro. ..

Na verde frescura
da tua boca
saciando meu ego
com sede de te amar. ..

Fértil delta
correndo quente
onde desagua
o teu e meu desejo. ..

Encantada floresta
dos teus cabelos
emanando um aroma
sem igual de mulher. ..

Procuro insaciável
teu doce olhar,
luz de tua alma,
a chama do teu sentir. ..

Procurando em ti
a essência de viver,
refresco minha alma
esperando um dia te sentir.

by mghorta 


Poema Incompleto!


Não escrevo como escrevia,
sem parágrafos ou travessões,
delirantemente ou deliberadamente,
da extravagância dos nossos Momentos,
razão disso perdeu-se no tempo
desde que deixei de ver teus cabelos loiros. 
Os dias passam sem razão da separação,
as noites passaram a ser dores de coração.
Impossível esquecer o que virou História
das memórias dos momentos por Nós Vividos,
como estranho me confesso que não te esqueço,
passo as noites a escrever Poemas Incompletos
tentando no firmamento do silêncio destas
quatro paredes a razão e solução para te esquecer. ..

by mghorta 


20 de dezembro de 2016

Degraus. ..


Quantas vezes temos que subir os degraus da vida sós, mas isso não quer dizer que estejamos sozinhos, mas sim que somos nós que teremos de continuar subindo, caminhar degrau a degrau, virar costas aos que nos molestaram, até mesmo os que nós amamos pois todos de uma forma ilustrada são micção neste mundo de contrastes.
Quantas vezes já nos indagámos por que só me acontece a mim?
Não obteremos resposta se não seguirmos em frente, olhando no nosso redor e estender a mão a quem necessite também de prosseguir um caminho, mesmo implicando a ficarmos sós na derradeira caminhada degrau a degrau.
Nem todos pensamos igual, nem sequer abrir mão da nossa felicidade para ajudar outrem.
Quem faz isso não sabe o valor de saber olhar para trás na perspectiva de saber prosseguir adiante na micção deste mundo, que embora seja um contraste, é lindo e belo, mesmo nos sacrificando na subida degrau a degrau.

by mghorta 

Espera Lá!


Por vezes não percebo!
As pessoas têm um forma
Falar de Mim como querem
que eu não lhes dei esse direito.

De certa forma fico pensando
que isso não está bem,
as pessoas são quem são,
ou são aquilo que elas têm?

Comigo eu queria
que fosse tudo diferente.
Se alguém pensar em mim,
espero que saibam que Sou Gente!

Falassem do que penso,
lembrassem aquilo que falo,
pensassem no que faço,
soubessem porque me calo!

De certa forma não sou o que visto,
somente sou do jeito que estou!
Não sou também o que tenho.

Espera lá sou mesmo eu Quem Sou!

by mghorta



14 de dezembro de 2016

Madrugada!


Tem na madrugada tua alma
com a fragrância das rosas,
brancas borboletas em minhas mãos
tremendo como que toquem teu coração.
Como te adoram mesmo não vendo!
És meu anjo da guarda à noite,
meu guia e guardiã dos meus sonhos,
teu choro a coco me diz que aqui estás, 
ali ou acolá nosso amor nos chama.
É madrugada hora do encontro,
sente o calor do meu corpo insano
querendo possuir-te infinitamente
na bela eternidade mesmo sonhando!

by mghorta (Mamas à Solta)


Diferente!


Poderia ter sido diferente, se tivéssemos observado as nossas Limitações,  gerir as nossas funções tal como as obrigações!
Se não tivéssemos utilizado a natureza humana, pessoal e sentimental.
Se não importasse, não estaríamos sofrendo, nos magoando, nos arrependendo dos Desencontros e chorando em cada  Encontro, seria diferente assim... Tanto!
Mas, infelizmente, houve integração, amor, afecto e carinho em tudo que fizemos, embora somente tivesse sido apenas amizade!
Agora, de costas voltadas, magoados, feridos, perdidos e sem respostas para o que deixámos atrás.
É muito longe voltar atrás, percorremos um caminho sem volta, foi muito lindo, intenso e ao mesmo tempo inocente, infinito e Eterno Enquanto Durou!!!
Por fim alguém errou, eu ou tu, mas não foi o fim, enquanto as forças não me deixarem, lutarei por um lugar seguro, contigo ou sem ti.

by mghorta 


13 de dezembro de 2016

Todos os Dias!


Todos os dias são diferentes,
hoje sem nuvens, 
amanha com Sol,
Todos os dias se nasce, 
outros se morre,
Todos os dias são floridos,
outros Outono,
Todos os dias sorrimos,
outros choramos,
Todos os dias se canta,
outros se amam,
Todos os dias se odeia,
outros se apaixonam,
Todos os dias são dia,
outros são noite,
Todos os dias temos tesão,
outros se fodem,
Todos os dias pecamos,
outros soletramos palavras de Amor.
.
by mghorta  (Mamas à Solta)

Tuas Mãos!

Tuas Mãos recordo-as
como folhas caídas de Outono
tremulas como meu corpo
como silêncio cor de escarlate
lembrando o Choro da ausência!

by mghorta

Nu nos teus braços!



Jogo-me nu em teus braços solidários braços,
escrevendo meus desejos nas tuas vontades,
em cada curva desse caminho sem volta,
levando-me no rastro dos
teus afagos...

Declamando a tua forte poesia,
pelos meus cantos em demasia
na pausa latejante de teu verso
fazemos amor de modo perverso...

Em poemas molhados de abraços,
Guia a língua que lava o sexo,
a tua boca que me beija louco
na fusão de nossos braços...

Entregue nas tuas mãos de pecado,
ao som dos teus sussuros rimados
Sinto o teu prazer amanhecer,
no brilho desse teu olhar parado...

Na ousadia deliciosa de teus gestos
Declamamos mais uma vez nosso acto de amor
Em convulsões carnais, um cansaço, manifesto,

Descansamos exaustos, eu e tu nos teus versos...

by mghorta 


4 de agosto de 2016

Outra Vez!


Imaginas o que me vai na alma?
Uma vez penso que sim,
outras vezes penso que não,
outras tantas vezes nem fazes ideia!
Ainda penso em ti,
meus pensamentos fogem
quando quero manter-me distraído.
Quando se olhamos um no outro,
meus olhos viram de direcção,
cuidadosamente porque não sei
o que poderá acontecer de novo!
Da ultima vez que fiz (zemos) isso,
apaixonei-me por ti. ..
Não, tu não fazes ideia disso!
Quer que fiques ou que vás,
quer que regresses ou esqueces,
nunca deixarei de me sentir ou sentir-te.
Quer que sejas feliz longe,
quer que outro te faça feliz,
ninguém apagará nossa história.
Quer que me deixes em paz,
nunca me esquecerás de vez.
Esquece-me outra vez,
apenas outra vez,
ou então esquece-me de vez.
Éramos nós outra vez,
mas repara no que nos aconteceu!
Desditoso tempo que nos fez esquecer,
malditos olhos que caçaram os teus,
tu esqueces-me outra vez,
um pouco de cada vez,
eu esqueço-te de vez,
por fim esqueço-te outra vez. ..

by mghorta (citando Mamas À Solta)


2 de agosto de 2016

Amantes secretos.

Pensar não dói, penso e repenso, gosto desta forma de fazer doer a alma, indo devagar e aos poucos invadindo até às entranhas, deixar que meu coração enlouqueça por momentos, devagar e devagarinho.
Pelos intervalos nem sequer pensar, sem recreio, sem pátio, não penso nem procuro qualquer pensamento, neste desespero, nesta demência, no delírio, nos desejos, criando planos para tentar chegar à meta, fazer-te na plenitude de uma certa forma dar largas ao meu ego de masculinidade.
No repensar vou sonhado estar contigo, possuir teu corpo, entranhar tua carne, ou apenas ser teu escravo secreto, teu amante, ser dominado, possuído pelos teus desejos, palmo a palmo descobrindo tuas curvas, deixar de pensar quem sou, ser somente teu. ..
Abrir lentamente teu vestido, percebendo os arrepios de teu corpo pela suavidade de minhas mãos, desabotoar botão a botão até sentir o pulsar de teu coração. ..
Passear dedo a dedo tuas costas, contando a constelação de sinais um a um, esquadrinhar teu fecho de soutien com a língua sôfrega de tesão, aos poucos descobrindo os teus seios, degrau a degrau descobrindo as curvaturas do teu corpo, os segredos nele escondidos, até que meus lábios percebam a vastidão do teu universo corporal, sentir teus arrepios até à contracção do prazer e finalmente sentir-me unicamente teu.
Por fim na selectividade dos momentos olhar tua silhueta totalmente nua, admirar todos os teus traços suados, deitar-me a teu lado e repousar minha cabeça nas dunas de teu peito, ver apenas a vastidão de teu corpo, toda a tua silhueta sem folga, sem espaços, só eu e tu envolvidos nus, num único abraço, enrolados sem espaço corporal, abraçados, deitados, colados com o silêncio do quarto simplesmente como amantes secretos que somos.

by mghorta (Amantes Secretos)


Proposição!


Repentinamente veio a saudade,

do que estava bebendo. ..

Tive saudade e lembrou-me do que faltava,

qual seria a bebida?

Procurei a beber copos,

copos atrás de copos e dei com tua boca.

Tinha saudade tuas,

a bebida eram teus beijos!!!


by mghorta (citando Mamas à Solta)

27 de julho de 2016

Foda-se que é anónimo!



Desejo que tudo se foda,
por isto e por aquilo,
que se fodam todos,
não me fodam mais,
se faço porque fodo, 
se escrevo porque fodo,
não escrevo  fodido estou,
quero é que todos se fodam,
a mim não me fodam mais.
Anónimo é fodido,
anónimos se fodem,
anónimos guerreiam em vez de foder,
mas a mim não me fodam mais,
fodam-se mil vezes.
Centenas de leitores,
milhares de olhares,
só me fodem os anónimos!
Negros e negras fodem,
brancos e brancas fodem,
amarelos e amarelas fodem
ricos e pobres fodem,
gritam e rejubilam a foder,
a mim só me fodem os anónimos,
fodam- se que é demais!!!

by mghorta (citando by mghorta)


Fronteiras!


O amor não tem fronteiras,
imaginar e explicar é dicionário,
mas como tudo tem explicação,
se existe vazios sem razão,
estou cansado de ser iludido,
meu ser e meu modo de estar,
só encontra fim quando te encontrar.

Se estás sozinha e com medo de sonhar,
o amor não tem fronteiras e isso posso afirmar,
se esperas estar a meu lado,
não seja o acaso a tomar conta do sonho,
deixa-te princesa minha de sonhar.

Foi na Internet que te encontrei,
vieste de mansinho e eu me entreguei,
sabia que não podias falar,
mas foste tu que obrigas-te a declarar,
dizias-te apaixonada e disposta a entrega,
não vou pensar duas vezes, quero te encontrar.

Hoje até os dias são difíceis,
saudade, carinho e até do beijar,
pior que tudo é não ser fácil de aceitar,
enfrentamos a distância e estatutos,
no entanto e na simplicidade
espero dar conta do recado.

O amor não tem fronteiras,
de certezas os sonhos falam,
que na verdade somos dois apaixonados.

by mghorta (citando by mghorta)


Cansado. ..



... tem dias em que estou super cansado, stressado e quando tento pegar um sono repousante, eis que toca o telemóvel, já me habituei a desligar, mas hoje ficou comigo e zás-trás-pás, dois anónimos e um identificado. 

Poderia ser alguém que precise de ajuda, mas porque eu devo ajudar quando eu sou um dos muitos que deviam ser ajudados e ando a penar?

Pensava eu, tomei as drogas e vou dormir como um anjo, recarregar as baterias e amanha que promete estar sol de tarde dar uma voltinha para aí e recordar; ''que é que você vai fazer domingo à tarde...''

Pois não, estou pior que um jumento desencarreirado que fiquei quase para matar alguém, e só não mato porque não tenho nada à mão, o desgraçado do télélé é que pagou as favas que foi parar ao chão.

Mas juro se me ligarem amanha de novo cedo, prometo que fico sem dó e dou um tiro em alguém...





Sanidade!


Carrego em mim os genes da leviandade, nos ombros o peso insaciável de amar, o constante desejo de ser preenchido, completo, seduzido.
O mundano parecer quando a entrega é total, ao fugir da noção da realidade, com o passar do tempo solto as amarras da vida para enterro de paixão e tesão.
Tenho em mim os genes do amor, adoro corpos estropiados pelo sexo, os fortuitos momentos do pecado sem freios e pudores.
Amo corpos sexuados, adoro o odor característico que se solta da pele suada das amantes. Amo os corpos perdidos em partilha, desprovidos, perfumados, nus, justificados pelo desejo, opulência e volúpia.

''Tornei-me insano, com longos intervalos de uma horrível sanidade.''
                                                                                                         (Edgar  Poe)

by mghorta (citando by mghorta)


Amantes Anónimos


Lembras-te daqueles dias, em que fomos uno, nos lugares menos pensados, aqui e acolá?

Éramos uno e isentos da merda que o mundo nos sujeita, corpo a corpo, bocas coladas, mãos e pernas tocadas, diante o Sol e perante a penumbra do anoitecer, em silêncio absoluto como só os amantes conhecem a essência desses momentos...

Nas trocas de confidências amorosas, manuseando os dotes corporais, éramos os seres mais Anónimos do planeta.

Se o mundo acabasse nesses momentos, nem Deus nos encontraria naquele ninho de luxúria, tal era a cumplicidade das nossas almas na quietude do transe dos nossos corpos Sexuados!!!

by mghorta (citando by mghorta)


18 de julho de 2016

Saudade!


Fiquei com saudades tuas, 
vontade de escrever sobre ti,
mas o texto ficou inacabado,
bem como a nossa história.

by mghorta


11 de julho de 2016

Olhos Nus!


Teu corpo nu
meus olhos vestidos
Teu corpo nu
meus olhos enlouquecidos
Teu corpo vestido
meus olhos nus.

Olhos Nus


Repentes!


Não somos mais que 'repentes',
tão depressa estamos juntos,
como de repente estamos sós,
no repente perco a Identidade,
como não me sinto à vontade,
que se quilhe a multidão.

De repente com um simples abraço,
tu me levaste ao espaço. ..
Esse repente estremeceu tudo o Quem Sou!

De repente tu e eu somos uno,
nos pensamentos e nos corações,
esse repente é uma tremenda Emoção!

No repente não vejo ninguém à frente,
a Felicidade repentinamente é total,
de tal forma que nada é igual. ..

Repente-mente é uma mera questão,
a forma que teu coração explode
e tudo isso por termos uma Ligação. ..

Mas como tudo é um repente,
tem um início como um final,
é uma tremenda tristeza
quando Caio No Real!

Como isto dói,
sofre-se e sente-se,
fico com a certeza na mente,
que virão outros 'Repentes'. ..

by mghorta



Nasci nu. ..


. .. sozinho e pobre,
mundo testemunha a minha inocência,
com dores  cruz da vida,
e coroa de espinhos,
bastava-me o carinho humano,
clemencio do mundo amor,
recebo desalinho,
vil servidão ou demência,
na minha liberdade corro meu caminho,
redescubro quem me cobre,
rejubilo de alegrias,
enlouqueço com jeitinho,
mas morro nu e nobre.

by mghorta (Nasci Nu)



9 de julho de 2016

Idiota!


Posso brincar com tudo, 
com as palavras que escrevo,
com as moedas que perco,
com os sentimentos que tento esconder,
dos olhares de quem me olha,
com meu lado de criança,
com a maldade que não tenho,
com a inocência que mostro,
talvez brinque com as paixões
com a indecência das mesmas,
talvez eu seja um brincalhão
sendo rotulado como idiota,
covarde sem reacção,
rosto carregado de rugas sérias
brinco com o tempo curto
com ele o mistério do futuro,
acorrentado brincando com o vento,
talvez brincando em demasia com tudo!

by mghorta

5 de julho de 2016

Identidade!


Perdi minha identidade, 
de cavalheiro e de homem,
vesti-me de mil fantasias,
perdido nos desejos como de beijos,
inocente por vezes,
malicioso a tempo inteiro,
apaixonado tantas vezes,
carente de muitas caricias,
desejado bem como odiado,
sou o que sou e por vezes 
o que querem que eu seja,
homem ou garoto,
querendo mandar e não dominado,
transformado em outro ser,
não sei a minha própria identidade,
perdi a felicidade
em querendo saber quem sou!

by mghorta (mamasàsolta)

27 de junho de 2016

Cerejas.


Quando vi tua boca vermelha,
visualizei duas cerejas.
me lembrei quando teus lábios beijei,
neles o sabor delas encontrei.

by mghorta


Quero. ..


Queria nesse momento estar ao teu lado..

sem fazer nada...

sem falar nada...

só estar ao teu lado.


Tilintando!


Sou louco por falar de amor,
que o amar seja nossos anticorpos,
mais e muito mais,
sucumbindo ao egoísmo,
até que sejamos uno,
seja o amar pecado
torne-se Inferno eterno nosso amor.
Irregularidades poéticas,
versos sem anexo,
grunhidos de tesão
transformados em canção.
Iniciativas de amor,
desnudando as piores rimas
culminadas no intocável.
Abstracto e vigoroso,
explorando o inanimado
como que se fosse a ultima vez.
Melindrosa-mente provoca
o inexperiente sensato,
driblando os abismos do medo,
até que dois se tornem um,
desmedidamente mesmo desconhecidos,
com ou sem pudor tilintando amor.

by mghorta (citando mamasàsolta)


Pecado!



Falaste-me em pecado,
faz assim,
avança em mim!

Não penses,
dispensa o pudor,
avança como for
mesmo que cause dor,
vem por inteira
ficando ao meu dispor. ..

Quero,
quero-te,
espero-te,
seja por amor,
seja por paixão,
lambuza meu tesão,
me usa com todo o ardor,
esquece o pecado,
somos frutos do mesmo pecado!

by mghorta  (citando By Mghorta)


22 de junho de 2016

Pagar ou Morrer!



Venho por este meio até ti, não tenhas medo que mal não te faço, apenas venho cobrar aquilo que me deves, ou vice-verso. Sei que aquilo  que tens pago já ultrapassou a divida que te pedi, mas divida é divida, e agora está na hora da cobrança, seja às claras ou no escuro, seja de manha, tarde ou noite, é fatal e impiedoso o meu método de cobrança.

Devo-te dividendos que usufrui em momentos, e também sei que é de acordo mutuo  o acerto de contas, não vamos olhar a meios e quando me encontrares, possui-me, devora-me da maneira que te sacies em vida as promessas que fizemos, cobra não deixes ficar nada ao acaso e esbanja o resto que tens para dar, mesmo que ainda te fique em divida para contigo, factura que iremos cumprir o acordo que assumimos quando pedi emprestado.

Porém, os juros são altos, a distância nos limita aos nosso intentos, mas é a colheita da vida, os frutos do amor correspondido, da resistência apesar das dificuldades, da coragem de sermos amantes.

Pode vir exigir o capital com juros de mora, mas não esperes pela demora de eu te cobrar também a moeda de troca corporal, a mesma que tu tanto ansiosamente procuras.

Não vou esperar muito mais, é o tempo da cobrança, o tempo escoa e o resto que temos, temos aproveitar e na totalidade dos momentos que tivermos, vamos pagar da forma mais sublime e entrega que nos der na veia ou na gana, não mais te prendas por traumas do passado e vem, vem cobrar cada cêntimo das promessas que te fiz.

Os resíduos do teu secreto ser, o joio que extraíste das jóias não usadas, o cofre (coração) onde por décadas guardaste teus segredos mórbidos, fraquezas, faltas de audácia, os talentos que não usaste no teu colchão onde dormias todos os dias, os pregões que amealhaste por não teres ter sido tu, davas a cara de honra aos transeuntes, mesmo que no teu ser fosse mais uma que deveria ter cobrado e não o fizeste, vem agora e cobra tudo, faço questão de te pagar até ao ultimo cêntimo.

Quero o teu outro lado, seja às clara ou ás escuras, porque aquele outro teu lado que te manteve sempre viva, não tenhas medo, vem cobrar a tua divida porque a ordem do dia é pagar ou morrer...

Ai o Amor!



Comprovei que, quase tudo o que foi escrito sobre o amor. .. é verdadeiro.
Shakespeare disse: 'as viagens terminam com o encontro dos apaixonados', eu digo que um beijo sela o Amor dos amantes.
Que ideia mais fabulástica!
Pessoalmente, posso dizer que já experimentei algo parecido, falta-me terminar um!
Estou convencido que Shakespeare também.
Estou em acreditar que penso mais no Amor que devia, devido ao seu poder esmagador de alterar e definir as nossas vidas.
Recordo que também foi Shakespeare que disse que o 'Amor é Cego' necessito muito de te tocar Amor.
Estou ciente e seguro de que isso é verdade, e um dia te tocarei as mãos e selar com um beijo nosso Amor.
Para algumas pessoas, de forma inexplicável-mente o Amor se esfuma, para outras o Amor singela-mente se vai.
Torna-se claro que o Amor também pode existir, até mesmo por uma noite ou um momento.
No intervalo, existe outra classe de Amor mais cruel, o que praticamente mata as suas vitimas.
A este classificamos pelo 'o Amor não correspondido' e nesse tipo, estou demasiadamente perito.
Na maioria das histórias de Amor falam de pessoas que se apaixonam entre si!
Mas que dizer dos demais?
E as nossas histórias bem como os momentos?
Aquelas por quem nos apaixonamos?
Somos vitimas de aventuras com danos colaterais, amaldiçoados no seio dos seres queridos, dos seres não queridos, os feridos que se valem por si mesmos na plenitude do verdadeiro sentido da palavra Amor.

by mghorta