23 de dezembro de 2015

Faltas-me...


Falta-me o som da tua voz,
palavras de ti quero ouvir,
está em mim a beleza de teu olhar,
o encanto sedutor de teu Corpo,
falta-me o calor de teus abraços,
que fazem crescer em mim tantos Espaços,
e no vazio deixo de estar em silêncio, 
quando mais preciso de te ouvir,
falta-me teus braços ao meu redor,
porque razão foges tu de mim
e não dás largas ao teu ser,
quero dos Lábios ouvir
para poder te sentir de novo,
hoje sinto-me vazio sem ti,
sem sequer poder imaginar
que teu silêncio é penetrante,
estou pleno de saudades tuas
que em mim tu Faltas-me!

by mghorta

4 comentários:

  1. Anónimo13:38

    Vivíamos um quase romance, cheio de quase verdades e com promessas de ser quase para sempre. Empobrecíamos os diálogos com quase respostas e muitas interrogações. Nós dois quase tínhamos habilidades para insistir no afeto. Impomos um conforto do quase deu certo.
    Ita Portugal

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Num romance inesperado onde os avanços e recuos pecou pelas promessas em que nós dois impusemos uma constante presença que restaram as histórias.

      Obrigado

      Eliminar
    2. Anónimo14:01

      As promessas, como as pessoas, perdem a força quando envelhecem.<3

      Eliminar
    3. Quando as promessas são ditas de corpo e alma, não envelhece-mos.

      Eliminar