25 de setembro de 2015

Medos.



Se a mentira nos leva ao abismo, já o medo nos impede enxergar para dentro de nós, não deixa transparecer o que vai em nossas almas e perceber o que na verdade somos e só tem saída para o estado da indecisão.
Quanto mais medos, mais molestados seremos, pois com eles vem a apatia, raiva e debilidade. 
Tal como perder a confiança de os enfrentar, ficar sem esclarecimento sobre o futuro, coloca em causa a  sobrevivência.

by mghorta


Suscito!




Olho em meu redor e suscito:
tantos sacrifícios para quê?
Espanto-me com tanta derrocada,
o tempo escasseia e ali o abismo.

A incógnita do amanha,

previsões futuristas são miragem,
se existe momentos felizes,
outros são miseráveis.

Se insisto que a vida passe,

serei eu atropelado,
seria tão bom que a vida fosse,
um passeio sem calçada.

Evito caminhar nos buracos,

olhando firmemente o horizonte,
só desejo ter paz na alma,
esforços para esquecer tanto sacrifício.

Se um dia se vive de cada vez,

as noites são renovação,
virão outros dias e tempos,
talvez com a solução!


.
by mghorta  (Citando mghorta)


Leal mas Feio.


Fui sólido, leal mas feio,
e tu bela, frágil e assustada.
Desejei estimar-te encarecidamente
numa existência limpa e honesta.

Sentado à mesa de uma taberna
avistava-te fraca, ruiva e simples,
neste antro vil e devasso,
só queria mesmo um abraço.

Feio e miserável me socorreste,
bebia em copos grossos,
porque de cristal com absinto,
foi passageiro quando saudável.

Miro-te além da porta de correr,
sinto inveja desse desenrolar,
vestes simples e sem enfeites,
postura de mulher imaculada.

Adorada mas muito natural,
lês meus pensamentos feios
num lugar barulhento e ténue,
mas sempre com espaço para Amar.

by mghorta (citando mghorta em 21 Março 2014)



De FRASES


21 de setembro de 2015

Talhados para Amar!


Deixa dizer-te os lindos versos raros
que a minha boca tem para te dizer!
São talhados em mármore de Paros
cinzelados por mim para te oferecer.

Têm dolência de veludos caros,
são como sedas pálidas a arder...
Deixa dizer-te os lindos versos raros
que foram feitos para te endoidecer!

Mas, meu Amor, eu não tos digo ainda...
Que a boca da mulher é sempre linda
se dentro guarda um verso que não diz!

Amo-te tanto! E nunca te beijei...
E esse beijo. Amor, que eu não dei
guardo os versos mais lindos que te fiz!

Florbela Espanca


17 de setembro de 2015

Visões!



Não deixou de ser simples visão,
daquelas VISÕES amenas,
que aos infelizes deu cabo da mente,
ficam vivas e animadas,
iluminadas e esperançadas,
celestiais e matizadas,
uma vez dissipadas,
restam uma leve lembrança,
que raízes solidamente ficaram...

by mghorta



Momentos!


Quando de novo se cruzarmos,
em qualquer lugar e momento,
tornar-me-ei de novo teu servo, 
desse teu olhar eternamente belo,
e de tudo o que não posso negar,
da eternidade de nossos momentos,
sentirei de novo a chama do amor,
desmoronando os alicerces da minha razão,
perdido no tempo verei tua sombra fugindo,
procurando nos meus lábios
os beijos de quem fingiu não me notar.


by mghorta



Históricos.


Vem para mim, pega minha mão, chega-te mais perto de mim, encosta tua cabeça em meu ombro e sussurra letras de um fado vadio vivo ao meu ouvido, me deixa bêbado dos teus trechos...
Soletra só o que preciso de ouvir, estou com saudades tuas.
Vem, arrepia-me, excita-me, tira-me da cama tardiamente, me faz homem de novo, deixa-me a pele ardentemente suada.
Vem fazer versos de um fado vivo, trechos históricos de coisas vividas por nós.

by mghorta


Faz de Conta


''Meu mundo não é como o dos outros, quero demais, exijo demais, há em mim uma sede do infinito, uma angustia constante que nem eu mesmo compreendo, estando longe de ser pessimista;
Sou antes um exaltado, com uma alma intensa, violento, atormentado, uma alma que não se sente bem onde estou, que saudade...
Nem eu próprio sei lá de quê!''

by mghorta (citando Florbela Espanca) 


16 de setembro de 2015

Despido.



Meu mundo está frio,


nu e despido de conceitos,


sem cor e sem fragrâncias,


sem aconchego para meu corpo,


feio, triste e medonho,


sem eu querer,


fiquei sem o teu ser,


sem amor


para me aconchegar


na tua alma,


sem eu querer,



fiquei sem o teu ser,

sem estar a teu lado,

sem teus cheiros,

sem o colorido da tua face,

sem teus abraços,

sem o teu olhar meigo,

assim sou eu DESPIDO,

sem teu corpo,

só e com alma nua,

sem eu querer,

fiquei sem o teu ser,

fiquei frio.


by mghorta




De Homem


15 de setembro de 2015

Não preciso de muito. ..


Vamos falar de identificação,
coisas soltas,
comuns e gostos,
similaridades,
paladares,
apenas quero que saibas Quem Sou,
em troca e sem dizer nada,
só preciso de um pouco de tempo,
tempo teu e isso não é pedir muito.

by mghorta


Silêncio!


A impossibilidade da palavra Silêncio
não tem correspondência com a realidade,
no Universo não existe Silêncio,
como também em cada um de nós,
num quarto só sem eco,
entre paredes silenciadas,
ouve-se o ecoar da circulação
do nosso próprio Sangue.

by mghorta


6 de setembro de 2015

Faz de Conta!



Faz de conta que não me conheces,
não sabes quem eu sou
não tentarei saber quem és,
se isso ajuda,
faz de conta que somos dois desconhecidos,
não teremos nada a perder,
se um dia ficarmos frente a frente, 
ninguém saberá de nada,
apenas nós o saberemos,
se merecermos ficar,
descobrir-nos ou remexer-nos,
dá-me o que te peço sem complexos,
porque as histórias não são faz de conta,
são meramente de quem as comete.

by mghorta 





De mixordiapoetica

Vive!



Perdoei erros quase irreparáveis,
procurei substituir pessoas insubstituíveis,
esquecer pessoas inesquecíveis,
já percorri caminhos por impulso,
neles me desiludi com pessoas,
as mesmas que esperava nunca imaginar
que elas próprias me desiludissem,
nos mesmos caminhos também desiludi,
abracei para proteger,
ri quando não devia o fazer,
fiz amigos eternos
e amigos que nunca supus,
amei e fui amado,
mas também fui odiado,
fui amado e não amei,
gritei e saltei de alegria,
vivi amores e prometi,
magoei e fui magoado,
telefonei só para ouvires vozes,
apaixonei-me por sorrisos,
já pensei morrer de saudades,
tive medo de perder alguém que amava,
acabei por perder na mesma quem me amava,
mas vivo e ainda estou vivo!
Não passei ao lado da vida,
como também não irás passar,
é bom lutar determinada-mente,
abraçar a Vida com paixão,
perder com classe,
vencer ousadamente,
porque o mundo é de quem se atreve,
e a vida é muito importante
para que a considerarmos insignificante.

by mghorta





4 de setembro de 2015

Sombras.


Dentro de mim
moram sombras,
elas me lembram histórias,
momentos de ternura,
elas conversam comigo
e são minhas companhia,
na solidão elas são canções
de melancolia porque 
não existe mais alegria,
quando entristeço,
elas choram comigo,
sem eu o querer,
são meu consolo,
porque dentro de mim
moram sombras
que não me assustam,
mas não deixam de ser dor
que todas as madrugadas
se soltam pelos cantos
voando como fantasmas
lembrando histórias felizes. 

by mghorta


De Homem