5 de julho de 2015

Esperança!


Vejo apressado que o mundo corre,
no meu olhar de adulto que ontem era miúdo,
olhar de criança que perdi no tempo,
talvez ainda existisse um resto de esperança,
que até podia ser minha herança,
num fado estranho,
pausada-mente olhando para trás,
se tiver força e esperança.
by mghorta


Sem comentários:

Enviar um comentário