10 de maio de 2015

Ébrio de Amor.


Suplico que abuses de mim,
ateia-me com teu fogo,
sei de cor teus trilhos,
como que as unhas na minha pele,
delineia-te em gemidos,
percorre-me em todos os ângulos,
quero sentir-te em todos os sentidos.

Mordes, gosto de tudo que é teu,
as que dói-em e as que não se sentem,
as que te dou e as que nos surpreendem.

Entre suspiros e risos,
fome de pele nua,
sede de teus abraços,
deixa tudo e vem,
mata de um trago
a sede de um ébrio de amor.

by mghorta



De Preto e branco


Sem comentários:

Enviar um comentário