8 de maio de 2015

Amarras


.

Escreveram os poetas em tempos remotos que a vida é a arte dos encontros, no entanto não contavam também que nos entre-tantos haveriam muitos desencontros.
Falando por mim e por ti, somos motivos de tantos desencontros, não te tenho encontrado mas não deixo de ler e reler teus apelos chamando por mim minha querida.
Mas nada é por acaso, motivos de sobra existem em nossos desencontros, os teus e os meus são amarras que nos estorvam e sabes bem que tanto eu quero que os laços intermitentes a existência presa que os momentos soltos de nossos encontros são de sobra magistrais  para que possamos suscitar, aaaiiiiiiiiii Amor por onde andas que não te encontro?
Na certeza porém, eu sei que te amo e sei também que tu me amas, somos livres nos laços que nos uniu momentaneamente e disso temos a certeza de quando nos nossos desencontros mais fortalece a vontade de quando voltarmos ao encontro vamos extravasar as nossas loucuras, soltar os impulsos que nos une e matar a solidão envoltos em abraços e caricias sem fim e soltar os aiiiii'ssss não de tristeza mas de muito prazer e gozo em que os nossos corpos serão o mote circunstancial dos amantes.
Ai Amor, até breve encontro!

by mghorta  (Ai Amor, até breve.)




De Preto e branco

2 comentários:

  1. Nossa que lindo!!!!
    Perfeito seria se a vida os unissem...
    Bjus

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nada é perfeito sem união,
      mas isso é mera visão.

      obg

      Eliminar