7 de maio de 2015

Abraça-me.


No teu abraço ouço o vento que emana da tua pele, nele sinto o nascer do Sol do intenso calor dos nossos corpos, na fragrância de teu perfume existe a força de um relâmpago feliz, nos frutos que foram colhidos na palidez de teu rosto, em que os caminhos cruzados nos levam a morder para provar o sabor que tem a carne incandescente dos nossos abraços.

No teu abraço visto o meu corpo no teu, para eu em ti possa buscar o sentido do sentidos, o verdadeiro sentido que a Vida nos proporciona.

Abraça-me, porque com ele quero morrer te sentindo tu em mim, amarrado espevitadamente de Amor, nele bebo a água de teus beijos, para que possa levar comigo a memória e a saudade, só essa água fará reconhecer o mais infinito, o mais intenso Amor do universo, e quero dele ficar a saber entre os astros, as estrelas mais brilhantes que eternizam os céus para os amantes.

Abraça-me por favor, nem que seja só mais uma vez, uma vez para que eu saiba se realmente tu existes.

by mghorta


Sem comentários:

Enviar um comentário