27 de março de 2015

Sou...


Sou mudo de prosa numa rima forçada,
com raiva nos dedos, preso e acorrentado,
senão houver nem poema nem arte,
ficam as palavras a iludir a verdade.

Segurando o verso, perco o verbo,
e a farsa disfarça... a farsa,
não me sinto se subo ou desço,
não quero sentir de novo, por isso me quedo.

Sinto-me pesado como a terra,
debaixo de um céu de segredo,
na cinzenta esfera, mais parece inferno,
não sou alto nem baixo, sou apenas degredos. 

by mghorta


Sem comentários:

Enviar um comentário