28 de março de 2015

Correr riscos de Amor.


O amor é tratado como coisa banal, que até estamos sujeitos a estarmos enganados se pensarmos que  o amor é frágil, é algo que até os mais fracos e os realmente fortes e dotados de controle emocional não podem descartar e ficar imunes às desventuras do amor.
Tal e qual como o presente, aceitar desafios e correr riscos na aventura de amar, é somente acessível para pessoas corajosas.
O amor exige a todo o momento de nós o que a maioria dos envolvidos não está adequados ou dispostos a ter: maturidade.
Avaliar a nossa maturidade nos dá a força e adaptação para amar a valer, porque amar alguém é lindo, é maravilhoso sentir, entretanto é algo que deveremos ter em conta a todo o momento, carece de sentinela permanente pois o amor não sobrevive apenas aos pontos altos, os maus momentos também devem ter conta na verdadeira e forma de amar, aqui somente os aptos de amadurecimento sobrevivem às intempéries e constâncias da arte de amar.
É muito fácil amar quando tudo está bem, difícil é amar quando os riscos do amor começam a trilhar caminhos que de uma forma ou outra são motivos para cair, aqui é que devemos manter o equilíbrio certo e nas escolhas que fazemos para prosseguir com êxito para a outro estado em que somente a doçura do amor que existe em nós poderá complementarmos na plenitude do desafio que sabermos amar de verdade, saber amar é uma constante na arte de saber Amar.
Desta forma não poderemos sermos tolos, fracos ou ingénuos por termos depositado em alguém a esperança de que o amor prevaleça sem termos a plena confiança de saber amar, mesmo que esse alguém indiferente-mente não o tenha merecido, sejamos fortes para conseguir tirar dela o melhor que o amor possuiu.
Muitos no mundo cheio de atrocidades e desamor, pagariam o preço verdadeiro para ter a coragem existencial para viver o amor que temos, não ter vergonha de assumir, ter a nobreza de se expor ao amor, porque somente os nobres de coração estão dispostos a correr os riscos de amar verdadeiramente.

by mghorta


Sem comentários:

Enviar um comentário