13 de janeiro de 2015

Sentado...


Sentado e com desalento,
enraivecido com o silêncio
de um relógio partido,
tinha por companhia o tempo,
estava eu como velho sentado...
recordando fragmentos do passado.

Na rádio tocava melodias velhas,
e um jovem falava de solidão,
que sabia ele de música,
quanto mais de estar só e sentado,
cabisbaixo como querendo alguém.

Passava gente pela calçada
olhando de lado com desdém,
sabendo eu que todos me fogem,
não sabendo a razão da minha solidão.

Com o passar dos dias vou
sentindo que sou um perdedor,
já não consigo enxergar
o que tem ou não valor.

Meu caminho parece estar findo,
sentado e com desalento
por companhia o silêncio no tempo.

by mghorta


Sem comentários:

Enviar um comentário