14 de janeiro de 2015

Mulher.



Quantas peles te vestem,
quantas vidas tem a tua vida,
quantas vezes morreste e foste renascida,
pela força do teu ser...

Ninguém te conhece ao certo,
só tu sabes quem és,
p mundo que não te entende,
adormece aos teus pés...

Vives num tempo que é teu,
emprestas ao dia as horas,
às noites dás os minutos,
embrulhado nas auroras...

Quanto de ti é pecado,
quanto de ti é salvação,
entre Deus e o diabo,
vive o teu coração...

Agasalhas no teu peito,
a verdade e a esperança,
que te escorrem pelas mãos,
e ferem como uma lança...

Amas o que é difícil de amar,
porque só tu conheces o Amor,
ele alegra-se em teu corpo,
e na tua alma chora de dor...

(Ártemis)


4 comentários: