18 de janeiro de 2015

Aviso.




Já não sou mais o menino bom,
mais pareço o lobo mau,
como de cedo se torce o pepino,
jamais serei direito ou erecto.
O que mais podia ser certo,
passei a duvidar de mim,
acredito e não minto,
que até mesmo caindo,
não deixo de montar o medo,
raivosamente amando,
mexo e remexo hoje,
porque o futuro me guarda,
morte feia e atroz,
dado que não deixo de ser,
cobaia dos sonhos inacabados.
Para os que me rodeiam,
cuidado com os caminhos,
tal como futuro incerto,
comboio descarrilando,
tal como eu já descarrilado,
dou vénia aos que a fundo brilham,
tal como gato em telhado de zinco,
patinando e caindo,
caio de pé diante dos inimigos.

by mghorta     (Aviso aos Inimigos)


Sem comentários:

Enviar um comentário